28 de janeiro de 2014

Temor a Deus


Por Manoel de Jesus The, São Paulo/SP

LEITURA BÍBLICA
"Assim foram todos os contados dos filhos de Israel, segundo a casa de seus pais, de vinte anos para cima, todos os que podiam sair à guerra em Israel;
Todos os contados eram seiscentos e três mil e quinhentos e cinqüenta.
Mas os levitas, segundo a tribo de seus pais, não foram contados entre eles,
Porquanto o Senhor tinha falado a Moisés, dizendo:
Porém não contarás a tribo de Levi, nem tomarás a soma deles entre os filhos de Israel;
Mas tu põe os levitas sobre o tabernáculo do testemunho, e sobre todos os seus utensílios, e sobre tudo o que pertence a ele; eles levarão o tabernáculo e todos os seus utensílios; e eles o administrarão, e acampar-se-ão ao redor do tabernáculo.
E, quando o tabernáculo partir, os levitas o desarmarão; e, quando o tabernáculo se houver de assentar no arraial, os levitas o armarão; e o estranho que se chegar morrerá.
E os filhos de Israel armarão as suas tendas, cada um no seu esquadrão, e cada um junto à sua bandeira, segundo os seus exércitos.
Mas os levitas armarão as suas tendas ao redor do tabernáculo do testemunho, para que não haja indignação sobre a congregação dos filhos de Israel, pelo que os levitas terão o cuidado da guarda do tabernáculo do testemunho.
Assim fizeram os filhos de Israel; conforme a tudo o que o Senhor ordenara a Moisés, assim o fizeram." (Números 1:45-54)

"Espalhe vida ao seu redor vivendo em temor e santidade."

“O tabernáculo de que lemos hoje era o santuário do povo de Israel durante o seu tempo de peregrinação. Qual seria a razão de tanto cuidado de Deus com relação a ele? Aquilo fazia parte da primeira lição divina a respeito de santidade. A tribo de Levi possuía uma dignidade especial porque Deus a designou para exercer o sacerdócio – a intermediação entre o povo e Deus. Por isso os levitas acampavam ao redor do tabernáculo e nada lhes acontecia, mas a instrução do Senhor  a Moisés, líder do povo, era que o estranho que se aproximasse morreria – uma determinação ao mesmo tempo terrível e gloriosa! Assim, os levitas eram santos, ou seja, separados especialmente para Deus.

Também para o cristão a busca de santidade é essencial. Quando os israelitas perdiam o temor do Senhor (caíam em pecado), Deus manifestava sua indignação com eles. A Bíblia cita vários exemplos, como os casos de Saul (1 Samuel 15), Acã (Josué 7), Davi quando contou os seus exércitos sem ordem do Senhor (2 Samuel 24), além de muitos episódios de reis de Israel que pecavam sem nenhum temor a Deus. O escritor cristão Philip Yancey começa um dos seus livros dizendo: “Trate o pecado como pecado”. O Dr. Thirso Starck, professor de Bíblia, afirmou em uma de suas aulas: “Uma vez que pecamos, liberamos um poder sinistro, destrutivo, sobre o qual não temos mais controle.”Uma advertência dura, mas verdadeira. Em nossa sociedade, o temor ao Senhor é um valor em extinção.

 A violência que impera em torno de nós é resultado da falta de temor a Deus. A maioria de nós esquece que nunca pecamos sozinhos. A consequência dos nossos pecados sempre atinge outros. Logo, pecar é sempre falta de amor a Deus e ao próximo, mas santidade é vida, e eis aí um glorioso prêmio. Vida para nós, nossas famílias, nossa comunidade, nossa pátria. Quanta bênção!”


Fonte: Presente Diário: o livro das leituras devocionais diárias, nº 17 / coordenador do comitê editorial Roland Körber. São Paulo : Rádio Trans Mundial, 2014. Vários autores http://rtm.radio.br/novo/presente-diario/28-1-2014;

0 comentários:

 
Powered by Blogger