22 de janeiro de 2009

Chorar faz bem

Por que não ficamos constrangidos em dar gargalhadas em público, mas na hora do choro somos capazes de engolir a emoção e não deixar extravasar? Acho engraçado o quanto somos capazes de usar abusivamente a forma de expressão do riso, contudo, temos medo, vergonha, sei lá o nome disso, de usar as lágrimas.

Em geral, preferimos classificar o choro como forma barata de sensibi-lização, artifício de fracos.
Só admitimos como aceitável o choro de uma criança ou então em caso de dor aguda provocada por ferimento ou enfermidade.
Por quê? O que nos faz fugir tanto do choro? Medo de parecer ridículo ou de borrar a maquiagem? Creio que nem uma coisa nem outra. É apenas o medo de se expor. Mostrar que não é super-homem. Medo de mostrar que tem sentimentos, que é tão frágil quanto todos os outros mortais.

Mesmo sendo mortais, nos valemos da hipocrisia e fingimos uma força que não temos, nos fechamos ao choro. Entretanto, o imortal, Mestre da Vida, peregrino sobre a terra com o nome de Jesus, em frente ao túmulo de um amigo, simplesmente chorou.
A beleza e força do choro do Nazareno foi tamanha que o evangelista João registrou: "Jesus chorou", revelando a impressão que isso lhe deu. Ora, se Cristo sendo quem era e quem é para a História da humanidade, não teve vergonha de chorar em público, por que não lhe seguimos o exemplo?

Assim como expressamos as dores do corpo com o choro, podemos e devemos expressar também as dores da alma. Esse escancaramento não vai diminuir sua autoridade no trabalho, na família ou lhe ridicularizar. Pelo contrário, lhe dará mais respeito por não se envergonhar da sua humanidade.
Se você está num momento em que precisa chorar, chore! Procure um amigo, o cônjuge, alguém com quem possa partilhar sua dor. Se estiver próximo a alguém que precisa de um ombro, aproxime-se, acolha e chore com ela.

Tenha certeza que as lágrimas que correm juntas, além de ajudar a curar das mágoas, tira o sabor de fel e acabam se tornando fonte de irrigação para que o jardim da vida floresça cada vez mais belo e forte depois do rigor de cada inverno.
O Criador nos deixou todos os legados da emoção para que entendamos o quanto precisamos uns dos outros, tanto para rir quanto para chorar. Como rir já é uma coisa da qual nos orgulhamos, vamos aprender a ter orgulho também da nossa capacidade de chorar!

3 comentários:

Fernanda Fernandes Fontes disse...

indaOlá...

Não tenho medo de chorar em público. Aliás o faço sempre, diria até que em excesso(rs). E não vejo isso como uma fraqueza, ou algo ruim. Simplesmente sou emotiva, principalmente em se tratando de artes...ai me desmancho fácil..rs...Mas mta gente realmente vê isso como algo negativo. Uma pena! É bom deixar transparecer o q sentimos...

P.S: Só uma dica...dê um intervalo de tempo entre uma postagem e outra, msm que já tenha vários textos prontos...facilita a leitura de todos os que por aqui passam...

Abraços!

Hilário Pereira disse...

Eu gostaria de chorar mais até...acho que muitas vezes faz bem. Não digo que chorei em filme, me emocionei, fica mais poético hahahaha.

Mas dar risada é muito melhor!! Se for pra chorar, de emoção só!

Grande abraço!

Anônimo disse...

fala meu amigo!!

bom é ver pessoas inspiradas por Deus, escrevendo matérias edificantes e objetivas. Deus continue lhe abençoando grandemente em seu ministério.

um grande abraço

de seu amigo

Paulo Preza Rocha

 
Powered by Blogger