22 de janeiro de 2009

Palavras sem ação são inúteis

Estamos vivendo um daqueles momentos em que muito há que se ouvir, pois muitos querem falar, mas pouco ou nada há que se ver, pois poucos querem viver o que dizem. A cada dia vemos algumas classes da nossa sociedade perdendo crédito, respeito e com moral cada vez mais baixa.
No meio da plantação parece existir mais joio do que trigo. Alguém pode dizer: 'Mas, você está julgando!' Não é questão de julgamento, é apenas não ser cego e ver o que estão fazendo, ou melhor, deixando de fazer.

A cada dia o uso da palavra se torna sempre mais rebuscado e requintado por indivíduos que aprendem a manipular seus ouvintes. Porém, a habilidade que têm em falar, não é a mesma que têm para viver o que dizem acreditar.

No horário da propaganda eleitoral, por exemplo, é de arrancar risos, pra não dizer lágrimas ao ver e ouvir os velhos jargões 'eu fiz', 'eu farei', 'vou lutar por vocês', 'pela educação, saúde e segurança', 'mais empregos para os jovens', e por aí vai, a lista é interminável.
Pra ser franco, tudo não passa de balela. Discurso pronto, bem pontuado, bem ensaiado, uma produção neurolingüisticamente calculada.

O resultado de verdade é bem conhecido: mensalão, dólar em todo lugar que se possa transportar, ambulância que vale mais que ônibus, etc. São apenas palavras, belas, bem pronunciadas, mas porcamente vividas. Há não muito tempo, a incoerência entre o discurso e a prática era patente de político. Estavam fora desse grupo os homens e mulheres que sempre foram conhecidos como pessoas de Deus.

Infelizmente, essa distinção já está se tornando muito difícil de fazer. Muitos que dizem pregar amor, compaixão, perdão, humildade, servir ao próximo e batem nos peitos dizendo fazer como Cristo ensinou, estão longe de saber o que é ser imitador do Mestre da Vida. Jesus jamais compactuou com qualquer atitude em que um homem tentasse sobrepor-se ao outro quer pela lei ou pela força.

Ele ensinou e viveu de tal forma a mostrar que para Deus não há acepção de pessoas. O apóstolo Tiago escreveu em sua carta que quem faz acepção de pessoas comete pecado. Muitos podem não saber ou fingir que não sabem, mas a presunção de dizer: 'eu sou mais santo do que tu', como profetizou Isaías, também é acepção de pessoas.

Oxalá nos tornemos pessoas sábias capazes de falar e viver o que pregamos. Assim, as nossas palavras serão mais que belas, serão verdadeiras e honrarão a Deus.

0 comentários:

 
Powered by Blogger