25 de junho de 2010

Despedida na Primeira Igreja Batista

Celso e família receberam o carinho de todas as gerações da igreja

A Primeira Igreja Batista de Campo Limpo Paulista viveu um mix de emoções no último dia 20. Além de chegarem ao culto satisfeitos com a boa performance da seleção brasileira na Copa 2010, aquela noite entraria para a história da igreja pelo seu caráter de despedida.
Depois de nove anos tendo como pastor titular o talentoso e abençoado Celso Eronides, a igreja despediu-se de seu líder e de sua família em uma noite memorável. A partir do dia 26, o jovem pastor assume a liderança da Primeira Igreja Batista de Suzano.

A mudança foi em clima de perfeita paz e harmonia. Tanto que, como já é tradição entre os batistas, os membros da igreja de Campo Limpo realizaram, no sábado, dia 19, um culto especial que representa a entrega do líder da igreja que se despede para a que o recebe.
Mesmo não perdendo o foco de estarem reunidos para promover um culto em louvor e adoração a Deus, os membros tiveram participações emocionantes com o envolvimento de todas as gerações.

Das crianças aos anciãos, todos aproveitaram para recordar os cânticos que fazem parte do repertório preferido do pastor Celso, recitar poesia e dar presentes. Com um espírito de gratidão, a igreja reviveu os nove anos de trabalho. As lágrimas foram inevitáveis. Ainda que resistindo e brincando com o argumento de que "homem não chora", Celso e a igreja foram vencidos pela emoção.
As insistentes lágrimas traduziram a convicção de que, a partir daquela data, não o teriam mais como pastor. Mas, representavam também a gratidão a Deus pela convicção de que a mudança não é uma perda para a igreja local, mas um ganho para o reino de Cristo.

Em sua última pregação como pastor titular da igreja campo-limpense, Celso optou por fazer uma reflexão livre, isto é, sem os rigores de um sermão. Em sua abordagem, agradeceu o carinho ele e toda sua família recebeu. Eronides também ressaltou a nobreza na postura dos membros da igreja que sempre procuraram atuar em comum acordo. "Vocês não viveram brigando e, portanto, foi fácil pastoreá-los", afirmou.
Celso falou, ainda, sobre a brevidade da vida. Lembrou que chegar à marca dos 40 anos não foi um fato 100% assimilado e brincou dizendo que sente-se com 18 anos.

Inspirado no Salmo 90:12: "Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos corações sábios", ele falou sobre a necessidade de sabedoria para o curso da vida e concluiu que o amor é um segredo para viver sabiamente.
Recordando o verso popular que afirma: "É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã", ele deixou clara sua  motivação de manter viva as amizades da etapa que se encerra e de que o amor será o tônico da etapa que se inicia.

0 comentários:

 
Powered by Blogger