12 de abril de 2017

LISTA DO FACHIN: PROGNÓSTICO PESSIMISTA

Passei nas páginas de Facebook de alguns dos citados na "Lista do Fachin". Encontrei desde discurso do "vou provar minha inocência" como Aécio Neves (PSDB-MG) e Celso Russomano (PRB-SP), até menção a outras reuniões, audiências como se nada tivesse acontecido, caso das senadoras Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e Lídice da Mata, (PSB-BA), e do deputado Rodrigo Garcia (DEM-SP), licenciado como secretário de Habitação do Estado.


Como a tal lista inclui gente de diversos partidos e de todas as ideologias, parece que estão apenas armando um esquemão no qual se um tiver o depoimento do delator anulado, os outros vão entrar na fila, buscar benefício similar e, com isso, todos poderão dizer: "Viu? Fui acusado, mas o processo arquivado, porque sou inocente".

A convergência de forças já é algo que está delineado e que, para sobrevivência, inimigos podem fazer as pazes nem que seja por um tempo. Afinal, somando senadores, deputados, ministros e governadores são 84 cabeças de 14 legendas (quase metade dos partidos em funcionamento no País).
Com distribuição democrática, a lista inclui, do PT - 18 cabeças; PMDB - 17; PSDB - 13; DEM e PP, aparecem com 7; PR, PSD e PSB, 4 cada; PRB - 3; PPS e PCdoB, 2; PTC, PTB e SD, 1.

INCREDULIDADEAo invés de me animar, toda essa pantomima está me fazendo enveredar pela descrença. Infelizmente, vislumbro a Lava Jato indo pelo ralo como hoje desejam e trabalham:
1) políticos de diversas legendas por múltiplas razões;
2) parcela expressiva do jornalismo de esquerda (embora jurem neutralidade) porque seus padrinhos sustentadores estão sangrando;
3) advogados que enxergam o juiz Sérgio Moro como demônio da magistratura;
4) Outros juizecos que não conseguem os mesmos "15 minutos" de fama do paranaense.
Estou pensando em limpar cocô de cavalo na Europa.

0 comentários:

 
Powered by Blogger