17 de dezembro de 2010

Contagem Regressiva 2

Em mais algumas horas, a raça humana estará mobilizada nos quatro cantos do globo para comemorar o início de um novo ano. De acordo com a Física, o planeta Terra completará mais uma volta na sua cambaleante viagem em torno do Sol.
De repente, a sensação é de que um Réveillon 'colou' no outro. Parece que o intervalo entre um 1º de janeiro e outro está cada vez menor ou, pelo menos, transcorre numa velocidade cada vez maior.

O calendário com sua divisão de 12 meses, 52 semanas e 365 dias parece que não traduz mais a realidade. A abreviação de dias anunciada por Jesus, segundo a maioria dos teólogos, já é uma realidade irreversível. Isso, de acordo com o Messias, é o princípio do fim.
Felizmente, pela fé, é possível recorrer à esperança de que o amor de Deus não se esgota e, no final, tudo será concluído de modo a que a raça humana tenha sua existência restaurada e que Sua vontade boa, perfeita e agradável seja cumprida com rigor de detalhes.

Enquanto não chegamos ao limiar da história, vamos conduzindo nossas vidas de acordo com o melhor fruto de nossas reflexões e estudos à luz do que aprendemos nos livros, na transmissão oral feita pelos nossos anciãos ou na simples observação do cotidiano.
É bem verdade que nossas análises erram, e muito. Porém, não podemos fechar os olhos para os acertos. Tentamos acertar, nem sempre de forma lógica e racional, mas tudo o que fazemos, na verdade, tem o objetivo fazer o que é certo.

Queremos acertar na escolha do cônjuge, na educação dos filhos, na carreira profissional, na faculdade, na compra do carro, na construção da casa, na viagem de férias, na construção das amizades, enfim, ansiamos por acertar. Evidentemente, o alvo nem sempre é alcançado. Contudo, temos uma grande capacidade de renovação e, se escolhermos pela perseverança, podemos partir do zero, e simplesmente, recomeçar e bem.

Estamos na contagem regressiva para encerrar o ano. Aguardamos com expectativa o que os patrões vão decidir sobre os dias e horário de trabalho nos últimos dias do ano. Confabulamos sobre onde e com quem queremos passar a virada. Copacabana, avenida Paulista, Florianópolis, Caraguá, São Vicente, Ilha Bela, Salvador, Porto Seguro? Viagem com família ou com amigos? Praia ou camping? Leva a sogra ou finge que a esqueceu depois que já tiver percorrido uns 100km da viagem?
Enfim, estamos contando nos dedos as horas para descansar do labor de mais um ano e receber com a melhor disposição possível o novo ciclo de 365 dias.

Para a virada, existem diversos rituais que são repetidos em maior ou menor escala: vestir cores de acordo com o que se deseja; comer este ou aquele prato que pode significar o desejo de mais riqueza ou mais saúde; tomar banho de mar; ver a primeira nascer do Sol, entre outros.
Contudo, entendo que o que realmente importa é exatamente o que pouco nos preocupamos em arquitetar: as nossas relações com Deus, consigo e com o próximo. Temos sempre muitas ideias relacionadas a questões materiais, mas refletimos pouco ou sequer analisamos a possibilidade de rever os nossos relacionamentos de modo a remodelá-los, aperfeiçoá-los e aprofundá-los.

Oxalá façamos uma contagem regressiva para erguermos pontes, e não muros, com o maior número possível de pessoas. Que sejamos céleres como corredores de 100m livres para perdoar, encorajar, confortar, unir, servir e, sobretudo, amar.
Que tenhamos pressa em viajar rumo ao coração uns dos outros, sem nenhuma pretensão de ir embora, sem medo de dar e receber.

0 comentários:

 
Powered by Blogger