18 de novembro de 2010

Se Deus sabe tudo, por que oramos?

A oração existe para desfrutarmos a companhia de Deus


O escritor escocês George MacDonald (1824 - 1905) escreveu:
 
"Se Deus, porém, é tão bom quanto você o pinta, se ele sabe tudo o que precisamos, e muito melhor que nós, por que seria necessário pedir-lhe alguma coisa? Respondo: E se ele sabe que a oração é a coisa de que mais necessitamos e com a maior urgência? E se, na concepção de Deus, o objetivo principal da oração é suprir nossa mais ampla e incessante necessidade, a necessidade dele? A fome pode levar a criança fugitiva de volta para casa, e ela talvez não seja alimentada de imediato, pois precisa mais da mãe que do jantar. A comunhão com Deus é a necessidade da alma que está acima de todas as demais necessidades: a oração é o começo dessa comunhão, e certa necessidade é o motivo dessa oração. Assim tem início a comunhão, uma conversa com Deus, um processo de união com Ele, que é o propósito da oração."
 
Acredito que o texto entre aspas fale por si só, mas, como de costume, preciso dar o meu 'pitaco'. Concordo em gênero, número e grau com o poeta escocês. Embora vivamos numa sociedade em que as relações são estabelecidas pelo poder de troca, acredito que sempre seja possível elevar o nível da comunicação e aprofundar os relacionamentos.
Infelizmente, somos formatados a acreditar que as pessoas só são interessantes caso elas tenham algo para oferecer. Nossa mente tem uma cantiga de "me-dá me-dá" que parece nunca parar de tocar.

Somos estimulados ao consumo não por precisarmos, mas apenas pelo simples prazer de dizer que ganhamos ou que possuímos isto ou aquilo. Via de regra, até nos esquecemos facilmente de quem deu o que tanto desejávamos, e o que recebemos se torna mais importante que quem o deu.
Essa relação corrompida, com elevada frequência, é estabelecida também com o Autor da Vida. Só nos preocupamos em voltarmos para Deus quando 'a coisa fica preta!'. Por Ele ser infinitamente Bom e Misericordioso, somos atendidos no pedido do emprego, da cura física ou mental, entre outras petições. Se não somos atendidos, até blasfemamos.

É exatamente aqui que erramos feio. Deus estabeleceu a oração não como o momento do pedido, mas, sim, como o momento do encontro. O que Ele realmente quer, é poder desfrutar da nossa companhia e nós da dEle.

Visualizo a oração como aqueles momentos em que os casais apaixonados admiram o pôr-do-sol sem dizer uma palavra, mas apenas desfrutam da companhia mútua.
Deus tem prazer em cuidar de nós. Como disse certo pregador: "Ele tem prazer em presentear seus filhos." Mas, todas as coisas que muitas vezes insistimos em dar prioridade, na verdade, são secundárias.

O que realmente importa é o poder nos enamorarmos de Deus. Isto é, estabelecer uma relação de intimidade, troca, cumplicidade, sonhos compartilhados, entre outras maravilhas de um relacionamento sadio e profundo. Acredito que a oração exista para desfrutamos o que mais precisamos: a companhia de Deus. Experimente.

0 comentários:

 
Powered by Blogger