6 de maio de 2010

Reconhecimento

Neste dias das mães, façamos um passeio pelas telas da vida


Em qualquer relação humana o reconhecimento abre portas. Ouso dizer que ser reconhecido cura feridas, desperta ânimos, abre a visão, enfim, existem diversos benefícios no ato do reconhecimento.


As benesses não ficam restritas a quem recebe, mas também a quem dá o reconhecimento. Isso é verdadeiro no trabalho entre empregado e patrão, na escola, entre professor e aluno ou vice-versa, entre os colegas de trabalho, com os amigos, na família entre marido e mulher, e, também, entre mães e filhos.

No próximo domingo, teremos mais uma comemoração do dia das Mães. Novamente, flores, chocolates –para desespero das que vivem em dieta–, jóias, refeições especiais, beijos, abraços dos filhos, netos, bisnetos que estão perto e daqueles que vêm de longe para celebrar a data.

No momento de abraçar, beijar ou presentear a mamãe, vale parar diante dela e prestar atenção na sua figura. Independente da idade, do estado da pele –se marcada pelas rugas–, ou formato do corpo –se mais gordinhas ou magrinhas–, se altas ou baixas, se negras ou brancas, se biológicas ou adotivas, se doutoras ou analfabetas, não importa. Sugiro que o olhar decline sobre elas e, na velocidade que o cérebro humano alcança, procure fazer um flash-back da vida desta mulher que estará diante de seus olhos e atende pelo doce título de mãe.

Neste passeio entre o ontem e o hoje, agradeça a Deus pelo milagre da maternidade que permitiu o teu nascimento. Lembre de suas lutas, suas dores, suas lágrimas. Recorde, ainda, até das suas ações e palavras mais severas que, hoje, você reconhece o quanto eram demonstrações de amor.

Após o passeio por estas e outras telas da vida, não esqueça de soltar um sonoro: 'Muito obrigado, Deus!'. Agradeça ao Criador por Ele, tantas vezes, ter atendido as suas orações em teu favor. Se fosse possível armazenar em potes as lágrimas que as mães vertem em favor de seus filhos, nos assustaríamos com o volume.

Elas choram pela alegria da maternidade, por causa do primeiro passo, da primeira palavra... Quando o filho acerta em suas escolhas, elas choram. As lágrimas rolam em intensidade ainda maior quando eles tropeçam e caem no curso da vida. As lágrimas maternas regam o jardim da vida de seus filhos. Sejamos, pois, agradecidos fazendo escolhas que façam as mães continuarem chorando, mas apenas de alegria.

3 comentários:

Anônimo disse...

Manu,,,
Muito lindo, mais muito lindo mesmo o seu texto nesta linda homenagem ao dia das Mães.
Parabens pela iniciativa, e que Deus continuem lhe abençoando.

E GLORIA A DEUS POR NOSSAS MAMÃES!!

Att
Fabio

rabiscando.com disse...

Parabéns pela inspiração e por conseguir transmití-la de forma tão sublime, Manu.
Mães são pessoas que se acumulam em nossas vidas. Primeiro vem a sua mãe biológica, depois a sua sogra (que as vezes é como uma mãe), a sua esposa se torna mãe quando te dá o maior presente de sua vida...
Como diz o velho deitado: "Mãe é Mãe"

E GLORIA A DEUS POR NOSSAS MAMÃES!! [2]

Turco disse...

Manu q lindas palavras!!!!
Vc é diferente e conseguiu colocar
em palavras tudo q seu coração
sente.
Parabéns!
Att,
Faouaz Taha

 
Powered by Blogger