6 de maio de 2011

Dia das mães sob a ótica dos filhos

O amor de mãe é uma prova do amor de Deus

O dia das mães é um dia de reflexão que, não fossem os riscos da experiência, poderia ser uma oportunidade para reviver a vida intra-uterina.
Evidentemente, somente um profissional habilitado (psicólogo, psicanalista, psicoterapeuta) poderia conduzir a viagem. Mas nossa mente pode revisitar o passado sem riscos. E o dia das mães é um bom momento para isso.

Que tal se você lembrar do primeiro dia que a mamãe te levou na escola? E aquela surra que você se lembra o motivo até hoje e o quanto a mãe estava brava? Alguma vez na vida, ela também resolveu brincar de se esconder por tempo o suficiente para nos fazer chorar e pensar que estávamos perdidos no mundo. A sensação de solidão causada pela brincadeira de esconde-esconde é avassaladora. Somente a alegria de ver o sorriso e correr para os braços estendidos da mamãe tem poder suficiente para reequilibrar o espírito e aliviar a alma.

Como filhos, também é inesquecível o dia da grande apresentação do namorado ou namorada (isso para quem ainda usa esse bom costume). E o dia que ela resolveu dizer que você tinha que parar de dormir tanto? Mandou parar de deixar a roupa espalhada pelo quarto, a cueca ou calcinha molhada no banheiro, a pilha de pratos e copos que você usava e largava na pia da cozinha ou, pior, em qualquer canto da sala por onde passava.

Tem mais. Teve o dia que ela tava de 'ovo virado' e desligou a TV, proibiu de ir na rua brincar e gritou com tom de poucos amigos: 'Vá fazer o dever de casa!'. Vergonha maior foi o dia que, também aos gritos, ela anunciou seu nome na rua no meio de todos os colegas e disse: 'Venha tomar banho, se não você e eu conversamos mais tarde!'.

Se for fazer a lista das broncas que mãe dá, viramos horas. Mas, tempos depois a única coisa que você pode sentir ao reviver tudo isso é gratidão. Com todas essas exigências, as mães são as melhores preparadoras para a vida. Suas implicâncias preparam os filhos para não ser um 'ninguém' na sociedade.

Quando ela se faz uma leoa, não é por ferocidade, mas, sim, por defesa da própria prole. Ainda que, num primeiro momento, os filhos não reconheçam, mais tarde, é que se percebe o quanto orelha puxada, tanta palmada, tanta bronca são úteis para diversos momentos da vida em sociedade.

Como filho, o dia das mães é o momento certo para agradecer a Deus e a elas pelo que cada um se tornou. Não importa se são biológicas ou adotivas, as mães são os instrumentos pelas quais o Criador faz valer todo o Seu cuidado. Acredito, piamente, que Deus se faz valer das mamães através dos conselhos, de seus pedidos para ir ou ficar, sair ou entrar, começar ou parar. Através do amor das mães temos provas incontestáveis do amor de Deus.

3 comentários:

T.Rodrigues disse...

As Mães são os anjos de Deus na terra. Através delas Deus cuida de seus filhos.
Manu lindo texto, como sempre você escolhe as palavras certas para tocar a alma, dizer a pura verdade em cada texto, há quem goste ou não.
Muito bom.

Le Arcanjo disse...

Perfeito!
Mais perfeito ainda por que um dia vou ser uma dessas, seja por filho biológico, ou por filho adotivo.

Parabéns! Ótima análise... :D

Beijos

M.Suhet disse...

Muito bom o texto...
Simples mas direto fazendo o leitor realmente refletir por tudo isso que vc descreveu.
Parabéns!
Mas vindo de você já era esperado neh? paoskpaoksoapsak

Abraço!

 
Powered by Blogger